Os sapatos são responsáveis por dar sustentação e apoio ao andar e devem ser escolhidos com todo cuidado, especialmente se estamos falando de crianças, que vivem em constante movimento, correndo, pulando e brincando por aí. 

Para garantir que seu filho não se machuque e que seu desenvolvimento não seja prejudicado, é preciso atenção para fazer a opção certa.

Se você está na dúvida, confira nossas 5 dicas de cuidados na escolha dos calçados das crianças

1. Tenha muita atenção com os primeiros passos 

Os bebês passam a maior parte do tempo descalços ou com sapatinhos de pano ou tricô nos dias frios. Quando começam a andar, precisam de segurança e estrutura. Portanto, é muito importante que os sapatos tenham o solado antiaderente e sejam bem flexíveis.

Como os bebês ainda não tem total controle dos pés e dedos, é crucial que os calçados fiquem bem presos aos pés. Então, nesse caso, é melhor evitar o uso de chinelos de dedo.

2. Aposte no conforto e em materiais de qualidade

Na hora de escolher o sapato dos pequenos, é melhor investir um item de bom material e com excelente acabamento para não ter dor de cabeça depois. Além de durar mais tempo, calçados em materiais como couro ou semelhantes tem mais resistência. Outro ponto importante é certificar se a peça tem solado antiderrapante de borracha. 

A parte interna do sapato é tão importante quando a externa. Verifique se o calçado é macio e revestido de materiais que proporcionem ventilação e absorvam o suor. Dê preferência a modelos que tenham uma palmilha para dar amortecimento. Na parte de trás, o calçado deve ser bem firme e estável, para aparar os calcanhares e tornozelos. 

É muito importante que a criança experimente o calçado e faça um pequeno teste com ele. Sapatos desconfortáveis podem causar bolhas e irritação, o que vai causar um grande transtorno para os pequenos. Procure testar no fim do dia — quando os pés tendem a ficar mais inchados — e com a meia que será usada no dia a dia. 

3. Escolha o tamanho certo

Criança cresce muito rápido e logo perde roupas e sapatos. Para economizar um pouco, alguns pais pensam em comprar um calçado um pouco maior a fim de que ele dure um pouco mais. 

Entretanto, essa ideia pode ser muito prejudicial para as crianças. Quando os pés ficam soltos dentro do calçado existe mais atrito, o que provoca bolhas e calos. Além disso, a estabilidade fica comprometida, o que aumenta o risco de quedas e torções. 

O sapato também não pode ficar muito apertado, para não gerar ainda mais desconforto e machucar a criança. O ideal é sobrar cerca de dois centímetros de diferença entre a ponta dos dedos e a ponta do sapato. 

4. Tenha cuidado com os sapatos de salto

Sapatos de salto alto não são boa ideia para crianças com menos de 12 anos, já que, antes disso, a estrutura óssea delas ainda não está totalmente formada. Usar esse tipo de calçado pode causar problemas como hiperlordose e dores na lombar. 

Se a criança insistir muito ou se o calçado com salto for necessário para alguma festa ou evento, o ideal é um item com salto anabela, que dá mais estrutura aos pés, e com 2 cm de altura, no máximo. 

5. Evite passar os calçados das crianças de irmão para irmão

Não é uma boa ideia passar o calçado do irmão mais velho para o mais novo, especialmente se este já estiver muito gasto. As funções do sapato como o antiderrapante, o material e a estrutura podem estar comprometidos com o uso e não serão tão eficientes com o novo usuário. 

Além disso, cada pessoa tem um jeito de pisar, o que tem um impacto direto no modo como o sapato se desgasta. 

Para garantir que a brincadeira não acabe mal e que seus filhos estarão sempre seguros, é importante estar atento e seguir nossas dicas na hora de comprar os calçados das crianças. Os pequenos agradecem!

Gostou do nosso post? Que cuidados você toma na hora de comprar os sapatos dos seus filhos? Conte para a gente nos comentários!