Quando se fala em arte na educação infantil, muita gente relaciona logo a aulas de desenho e pintura. Embora sejam importantes, o ensino das artes vai muito além de lápis de cor e papel. Ele tem um lugar único no desenvolvimento das crianças e pode proporcionar frutos para a vida inteira. 

Quer saber como implementar a arte na educação dos seus filhos? Confira nossas dicas:

O papel da arte na educação infantil

Muita gente concorda que o ensino de artes é essencial para as crianças, mas poucos sabem os motivos ou incentivam seu estudo pelos pequenos. 

É possível ensinar sobre diversos conceitos — concretos e abstratos — usando a ficção. Ela promove uma experiência lúdica e facilita o aprendizado, uma vez que concilia conhecimento, raciocínio e diversão.

A educação artística vai muito além de desenhos, pinturas e esculturas de massa de modelar. Embora seja importante para a criança aprender a desenhar formas, usar cores e assimilar noções espaciais de objetos, há um vasto mundo que pode ser apresentado por meio de outras atividades. 

A literatura, por exemplo, não é lembrada como um tipo de arte. É por meio de histórias para dormir (principalmente contos de fada e fábulas) e de livros educativos que as crianças aprendem diversos conceitos éticos e sociais. 

Crianças maiores, entre cinco e 12 anos, podem se beneficiar imensamente do teatro e da dança. Essas modalidades artísticas ajudam a desenvolver noções espaciais, controle corporal e aspectos da personalidade ainda em formação. 

Acima de tudo, o ensino da arte incentiva os pequenos a desenvolverem a criatividade e imaginação — qualidades que vão ajudá-los imensamente no futuro, não importando qual caminho escolham. 

A arte nas instituições de ensino

Em geral, as escolas incentivam o desenho e a pintura durante as aulas, pois essas atividades treinam as mãozinhas para começar a escrever. É desenhando que as crianças se familiarizam com o lápis e papel, desenvolvendo coordenação motora e concentração mental — que serão necessárias durante a fase de alfabetização. 

Além de incentivar a produção de arte, as escolas também as ensinam a consumi-la. Nas instituições de ensino, as crianças podem aprender sobre artistas, modalidades e história por meio de aulas e visitas a museus e galerias. 

O ensino de educação artística na escola também desenvolve as habilidades sociais dos pequenos. Aulas de música ou dança, por exemplo, ajudam a perder a timidez e a encarar desafios como apresentações públicas, uma vez que, em geral, são feitas em grupos. 

O incentivo à arte em casa

É importante, primeiramente, tornar a experiência de ensino artístico agradável e proveitosa. Portanto, não adianta forçar a criança a gostar de livros ou acreditar que apenas comprar tintas e telas vai incentivá-la a gostar de pintura. 

A melhor forma de inserir a arte em casa é por meio dos hábitos dos pais e familiares. Não precisa, por exemplo, colocar música orquestrada para tocar o dia inteiro, mas ouvir música clássica ou instrumental ocasionalmente (desde que seja do seu gosto) mostra para seus filhos que há mais do que os sucessos do rádio ou da televisão. 

Outro bom hábito é levá-los para eventos culturais, como peças de teatro, mostras de artes visuais, cinema e concertos musicais. Certifique-se de que são produtos adequados para a idade e que todos se divirtam — assim a experiência se torna agradável, e não uma obrigação. 

Por meio da arte, as crianças descobrem um novo mundo, com histórias e desafios que expandem seus conhecimentos e ajudam a desenvolver novas formas de raciocínio. Aos pais e educadores cabem guiar os pequenos para essas descobertas e garantir que sejam extremamente proveitosas.

Quais outros benefícios da arte na educação infantil você conhece? Deixe seu comentário aqui no post!