Foi-se o tempo em o mundo era dividido entre cores para meninos e meninas. Se antes as crianças eram criadas com base em estereótipos que dividiam brincadeiras, objetos, roupas, calçados e até mesmo comportamentos, hoje elas são livres para explorar um universo cheio de possibilidades.

Essa mudança inclui demonstrar sua personalidade explorando uma paleta de cores que não se restrinja a rosa e azul. Por essa razão, preparamos este post especial para lhe ajudar com outras opções que possam fazer parte do dia a dia dos pequenos. Acompanhe!

Cores para meninos e meninas no vestiário infantil

Muitos pais ainda insistem em separar tons mais intensos para meninos e mais suaves para meninas. E isso é notável, principalmente, no vestuário, começando pelo enxoval do bebê e perdurando por toda a infância.

Contudo, essa escolha limita (e muito) a experiência das crianças com o diferente e deixa o processo de crescimento defasado. Isso acontece porque as cores têm um papel fundamental no desenvolvimento infantil, proporcionando estímulos que aprimoram não apenas os sentidos (como a visão), mas também o aspecto cognitivo dos pequenos.

Por esse motivo, quanto mais cor, melhor. E qual forma mais eficaz de deixar a rotina das crianças colorida do que por meio das suas roupas, não é mesmo?

Portanto, abuse do amarelo, do vermelho, do laranja, do vinho, do roxo, do marrom. Apenas lembre-se de que tons mais escuros devem ser evitados durante dias quentes, pois absorvem mais calor.

Outra dica é sempre optar por peças que sejam de fibras naturais (algodão, por exemplo), que aumentam a circulação de ar e facilitam a transpiração enquanto as crianças brincam, correm e se exercitam.

Cores para meninos e meninas na decoração do quarto

Você pode investir em cores claras e neutras, como branco, bege, cinza, creme, lilás, amarelo pastel ou verde-chá. Isso porque esses tons transmitem tranquilidade, promovem o relaxamento e ajudam os menores a pegar no sono.

Ou seja, cores mais leves deixam a decoração do quarto mais convidativa e aconchegante. Além disso, absorvem menos calor e tornam o espaço visualmente mais amplo.

Mas isso não implica que tonalidades mais fortes não possam ser usadas; pelo contrário: apenas é preciso que haja um equilíbrio na sua utilização para que a harmonia do ambiente seja preservada. Elas podem marcar presença, por exemplo, em uma parede exclusiva ou mesmo metade dela.

Além disso, papéis de parede podem ser aplicados no cômodo, trazendo mais dinamismo com figuras geométricas, desenhos e muito mais que representem atividades que seu filho gosta — e o principal: com as nuances que mais o agradam.

Como você leu, não é preciso segmentar cores para meninos e meninas. A infância é uma das fases mais bonitas e marcantes na vida e não dá para limitá-la a apenas rosa e azul, não é mesmo? Por isso, deixe seus filhos livres para que escolham e experimentar tonalidades diferentes sem recriminar ou categorizar entre o que serve para um, mas não para o outro.

Gostou do texto? Aproveite e curta a nossa página no Facebook para não perder nenhuma dica sobre o universo infantil!