É comum ver as crianças pedirem aos pais para terem um bichinho em casa, não é mesmo? Contudo, muitos deles ficam receosos quanto à relação entre animais de estimação e os filhos, especialmente nos primeiros anos da infância.

Foi pensando nisso que preparamos este post especial para lhe mostrar quais os benefícios desse convívio diário e que impactos ele traz para a saúde e o comportamento da criançada. Confira!

Benefícios da convivência entre animais de estimação e crianças

Crianças que crescem acompanhadas de um ou mais pets aprendem desde cedo a respeitar e conviver com a natureza e outros seres vivos de maneira mais harmônica.

Isso porque elas criam laços com os bichinhos, que passam a ser uma companhia constante em suas vidas. Eles se tornam seus amigos, parceiros e até mesmo confidentes em momentos alegres e tristes da rotina.

E esse relacionamento ajuda os seus filhos a desenvolverem empatia e, principalmente, a sociabilidade na infância, já que os animais vão estar interagindo com eles constantemente, estimulando-os a expressar sentimentos, opiniões e a comunicar o que desejam — um processo essencial para diminuir a timidez infantil.

Além disso, conviver com um cão ou gato, por exemplo, aumenta a sensação de bem-estar ao mesmo tempo em que diminui o estresse e a ansiedade, aumentando as defesas do sistema imunológico dos pequenos. Isso minimiza em até 13% o aparecimento de alergias e asma, segundo estudo divulgado pela JAMA Pediatrics.

A importância de ter um bichinho com personalidade igual à do seu filho

Para que os benefícios do convívio entre animais de estimação e crianças sejam alcançados e até mesmo ampliados, é fundamental que o bichinho escolhido tenha uma personalidade similar à do seu filho.

Por exemplo, se o pequeno é mais ativo e agitado, é interessante que ele tenha um cão de uma raça que tenha essas mesmas características. Dessa forma, ele terá o pet como um companheiro de aventuras.

Já aquelas crianças mais calmas e que gostam de brincadeiras mais tranquilas podem se dar muito bem com um gatinho, já que os felinos são mais sossegados.

Mas se além do colégio ele tem outras atividades extracurriculares e acaba passando boa parte do dia fora, pode ser mais interessante um peixinho em um aquário como animal de estimação.

Afinal, diferentemente de outras espécies mais sociáveis e que necessitam de um nível maior de interação, ele se adequará melhor ao dia a dia do seu filho.

O espaço correto para convívio com o animal

Como você leu, a relação entre animais de estimação e crianças é extremamente benéfica para os pequenos. Contudo, isso não significa que você pode levar qualquer bichinho para dentro de casa.

Afinal, é preciso que haja espaço para ele se locomover e se exercitar sem dificuldades. Portanto leve em conta o tamanho do seu lar, se há áreas abertas — como jardins e varandas — onde ele possa ficar e fazer suas necessidades fisiológicas e se o porte do pet é adequado para ambientes como apartamentos ou residências.

Cuidados necessários com os pets e os pequenos

Além do tópico anterior, há outros cuidados fundamentais com o animal não apenas para o bem-estar dele, mas também para o da sua família.

Por exemplo, é preciso criar uma rotina de alimentação, já que o bichinho dependerá de vocês para comer e matar a sede — o que pode, inclusive, ser estimulado nos menores para que ajudem com a tarefa de dar ração e trocar a água e, assim, desenvolvam mais responsabilidade e senso de cuidado.

Também é necessário atenção com a higiene da residência, pois o pet deve ser adestrado para fazer suas necessidades em um local específico e as crianças não terem contato a urina ou as fezes do animal, o que pode desencadear alergias, como dermatite de contato, e outras doenças.

Viu como a relação entre animais de estimação e crianças é repleta de efeitos positivos na infância? Então siga os cuidados que apontamos ao longo do texto e dê ao seu filho um grande amigo e companheiro animal!

E se você gostou do tema deste post, aproveite e leia agora sobre como ajudar os filhos a superarem a timidez!