Você sabia que os casos de bullying na escola tem aumentado a cada dia, e que atualmente já são considerados um problema de saúde pública?

O bullying afeta diretamente a vida de muitas crianças e adolescentes, impedindo um crescimento sadio e adequado, além de comprometer a qualidade de vida e o bem-estar. Por esse motivo, vamos apresentar nesse post o conceito de bullying e mostrar como ele afeta o desenvolvimento das pessoas que o sofrem.

Além disso, vamos mostrar qual é o papel dos pais nesse processo, e indicar alguns filmes que são ótimas opções para refletir sobre o assunto. Confira!

Afinal, o que é bullying?

O termo é derivado de bully, uma palavra inglesa que significa brigão ou valentão. No português o termo está relacionado a situações de ameaça, intimidação e humilhação.

Na prática, o bullying acontece quando uma criança ou adolescente sofre agressões repetitivas, é colocado em situação de desvantagem e sem possibilidade de se defender. Essa agressão normalmente é intencional e pode ser tanto física quanto verbal. 

Geralmente os bullys, aqueles que praticam o bullying, escolhem vítimas menores e mais frágeis. A agressão também está muito associada a estereótipos e preconceitos, sujeitando crianças de classes sociais mais baixas, etnias minoritárias, como negros e asiáticos, ou que de alguma forma possuam características diferentes da maioria.

Como o bullying na escola afeta uma criança?

Quando uma criança sofre agressões físicas e morais, a chance de seu desenvolvimento não ser tão saudável aumenta significativamente. 

O pequeno vai passar a conviver, com frequência, com situações e episódios que o inferiorizam diante das demais pessoas, e naturalmente irá procurar formas de se adaptar àquela situação.

As consequências podem ser vistas a curto e longo prazo: dificuldade de aprendizado, ansiedade, falta de atenção, baixa autoestima, estresse, depressão e até falta de apetite. A longo prazo, casos mais graves de depressão, alterações no temperamento pessoal, fobia facial, falta de confiança, comportamento explosivo e agressividade são exemplos.

Qual é o papel dos pais nessas situações?

É importante que pais e mães cultivem o hábito do diálogo dentro de casa, perguntem sobre a rotina, e busquem entender todas as situações e sentimentos demonstrados pela criança.

Além disso, é interessante conversar sobre o assunto. Isso vai fazer com que seu filho adquira mais confiança em você e, consequentemente, comece a se abrir mais. A partir daí, mantenha as conversas em dia e busque certificar-se de que a criança não passa por nenhuma situação de agressão.

Caso você descubra que o pequeno sofre bullying, mostre que você está sempre ao lado dele, valorizando e deixando que ele exponha os seus sentimentos. Depois, é interessante ir até o colégio e conversar com os responsáveis pela instituição e, se possível, com os responsáveis do agressor.

Como abordar melhor o tema?

Hoje em dia é possível encontrar várias formas alternativas de abordar e refletir sobre o assunto de forma mais leve.  Os filmes, por exemplo, podem ajudar a mostrar para a criança que aquela é uma situação frequente, que o bullying é errado, e que não ocorre por um defeito pessoal dela. Confira algumas sugestões!

Kes

O filme fala sobre um menino que vive em um bairro mais pobre e por isso é ridicularizado e violentado na escola. Para superar, ele treina um falcão e o chama de Kes.

Evil, Raízes do Mal

Conta a história de um garoto de 16 anos que trata os colegas da escova com grosseria, mas também é maltratado pelo padrasto. Ao receber uma nova chance na escola, ele passa a sofrer pressão dos veteranos.

Meu Nome é Drillbit Taylor

Mostra três meninos de um colégio que são perseguidos por um valentão e contratam um guarda-costas para protegê-los.

Agora que você já viu como o bullying na escola pode afetar a infância de seu filho e como lidar com isso, preste atenção ao comportamento do pequeno, busque sempre manter um contato próximo e com muito diálogo!

Você passou por alguma experiência de bullying na infância? Já teve que lidar com algumas das situações descritas no post? Conte aqui nos comentários!