Na primeira infância, uma das principais ferramentas que as crianças têm à mão para se expressar são os desenhos e pinturas. Nessa fase, a utilização das cores pode exercer um estímulo direto no desenvolvimento cognitivo da criança, aprimorando sua capacidade de raciocínio.

Cores vibrantes possuem capacidade ainda maior de atrair a atenção dos pequenos e estimular os seus sentidos. Por essa razão, em relação aos bebês, os pais já podem abusar do universo das cores e fazer desse artifício uma ferramenta para a educação dos filhos.

Para saber como você pode explorar as cores como um recurso capaz de ajudar na educação do seu filho, preparamos este post.

Brinquedos coloridos

Uma sugestão para observar o poder que as cores exercem sobre a mente ao longo da primeira infância é colocar brinquedos como chocalhos e argolas coloridos, fixados sobre o carrinho de bebê, o berço ou a cadeirinha de refeições, de modo que a criança consiga alcançá-los com as mãos.

Ao manuseá-los, ainda que de forma inconsciente, a criança exercitará diferentes aspectos de sua percepção, como a coordenação motora, ao tocar na peça, e também a audição, com o som vindo do brinquedo. A autoestima também é trabalhada, pois a criança percebe que é capaz de alcançar e tocar o objeto.     

O impacto das cores na primeira infância

Algumas cores exercem um impacto maior sobre a mente de bebês e crianças, podendo causar reflexo imediato em seu comportamento.

Conhecido pelo seu efeito relaxante, o azul promove uma sensação de amplidão, pois acalma e interioriza. É diferente do amarelo, que é uma cor relacionada à criação e tende a irradiar e expandir a luz. Por sua vez, o verde é uma cor mais densa e firme.

A alegria e o entusiasmo são associados ao vermelho, uma cor quente que traz calor também a outras cores.

Uma forma de levar a criança a experimentar o efeito das cores é fazer com que ela descubra cores novas. Aproveite momentos de brincadeiras ou as aulas de educação artística com pintura em aquarela para misturar as cores primárias e formar novas tonalidades.

O laranja é resultante da combinação de vermelho e amarelo. Já o lilás/roxo surge da união do vermelho com o azul.   

O ensino das artes na pedagogia Waldorf 

Não se pode falar de utilização das cores como ferramenta educativa sem falar em artes, assim como não dá para falar de educação artística sem mencionar a pedagogia Waldorf.

Por volta da década de 1920, um educador e filósofo austríaco chamado Rudolf Steiner desenvolveu uma abordagem educativa que ficou conhecida como pedagogia Waldorf.

Ele acreditava que o aprendizado congitivo-intelectual não deveria se sobrepor em relação às disciplinas criativas, artísticas e artesanais. Por isso, os elementos artísticos e expressivos devem estar presentes em todas as aulas do ensino infantil.

Muitas das escolas Waldorf, que estão presentes em mais de 60 países, inclusive no Brasil, não fazem divisão de gênero nas turmas. Por isso, há salas de aula em que os espaços são destinados ao desenvolvimento, por meninas e meninos, de técnicas de teatro, pintura e trabalhos manuais de artesanato, como tricô.

Além disso, as crianças também aprendem a cozinhar (incluindo os meninos), já que a preocupação com a alimentação é um ponto importante dessa linha pedagógica.

E você, já pensou que as cores podem ser uma aliada na educação dos seus filhos durante o período da primeira infância? Conte para a gente nos comentários deste post!