O déficit de atenção infantil, conhecido entre os médicos como transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), é uma doença polêmica, que costuma trazer sofrimento para a família. Isso porque, ao atingir principalmente crianças, é mais difícil de diagnosticar e, muitas vezes, pode alarmar os pais, que passam a enxergar a doença onde ela não existe.

Por outro lado, quando há, de fato, um quadro de déficit de atenção, os sintomas como desatenção, hiperatividade e forte impulsividade, podem ser confundidos com “problemas de comportamento”.

Portanto, nem tudo é TDAH, mas ele exige, sim, atenção por parte dos pais, afinal, a Organização Mundial de Saúde (OMS) reconhece a doença e as estatísticas apontam que cerca de 3% a 5% das crianças brasileiras sofrem dela.

Neste post, apresentaremos informações sobre o déficit de atenção infantil, seus sintomas e tratamento. Confira!

O que é o déficit de atenção e quais são seus sintomas?

O TDAH é uma doença neurobiológica de origem genética e seu principal sintoma é a dificuldade em se concentrar e prestar atenção. Outra característica muito comum é a forte impulsividade.

Esse transtorno não tem uma cura e, por isso, é comum que acompanhe a pessoa pela vida inteira.  Por outro lado, em muitos casos, algo em torno de 40%, segundo a Associação Brasileira de Déficit de Atenção (ABDA), o quadro desaparece quando a pessoa chega à adolescência.

Para ajudar na detecção de um possível quadro de TDAH, os pais devem ficar atentos para alguns comportamentos, tais como: incapacidade de prestar atenção em detalhes, incapacidade de finalizar tarefas, distração constante, inabilidade de expressar os sentimentos, apatia, falta de motivação crônica e a dificuldade de ouvir, de parar sentado ou de esperar sua vez.

Como é o tratamento e qual o papel dos pais?

Pelos prejuízos que pode causar, o TDAH é uma doença que precisa ser enfrentada o quanto antes. Queda no rendimento escolar, dificuldades de relacionamento e baixa autoestima estão entre os problemas decorrentes dele. 

Então, assim que você notar que seu filho tem dificuldade de concentração ou que vai mal na escola, a melhor coisa a fazer é buscar ajuda médica, mas sem desespero: o profissional vai indicar exames para fazer o diagnóstico correto.

Se for constatado o déficit de atenção, o tratamento será iniciado. O responsável por cuidar do portador desse transtorno normalmente é um psicólogo, pois esse profissional domina as técnicas que ajudam o paciente a lidar com o problema e incentivar o cérebro a desenvolver maneiras de contorná-lo.

É absolutamente contraindicado “forçar” a pessoa a se concentrar, pois a atividade no córtex pré-frontal simplesmente se desliga.

Para ajudar seus filhos que possuem essa condição, os pais, além de possibilitarem o tratamento médico, devem reforçar e valorizar os talentos e os pontos fortes das crianças, fazendo crescer sua autoconfiança.

O estabelecimento de limites e a associação clara entre comportamento e consequências ajudam a lidar com a sua impulsividade e agressividade, duas das características mais difíceis de administrar em casos de TDAH.

Por que o déficit de atenção infantil acontece?

Ainda não está clara qual é a causa exata do TDAH, mas sabe-se que ele resulta do mau funcionamento de algumas zonas do cérebro (corpo caloso, lobos frontais, cerebelo, gânglios da base, além dos sistemas dopaminérgico e noradrenérgico).

Porém, certamente esse não é o único fator envolvido: baixa atividade elétrica no cérebro, problemas na circulação sanguínea e má gestão da glicose também podem influenciar. O fato é que pessoas com o transtorno apresentam dificuldades de comunicação entre os neurônios e outras partes do cérebro.

Ficou mais claro para você o que é o déficit de atenção infantil e como ele pode ser tratado? Se quiser saber mais sobre esse e outros assuntos relacionados às crianças, assine nossa newsletter!