Por mais que alguns pais tenham que controlar a dieta dos pequenos desde cedo – especialmente por conta da obesidade infantil –, outros precisam enfrentar um dilema oposto e igualmente preocupante: seus filhos não comem direito.

Embora a perda de apetite seja aceitável em determinadas situações, como doenças, calor excessivo, mudanças, dentre outras; uma boa alimentação é essencial para o desenvolvimento de qualquer criança. Mas, afinal, existe uma maneira de fazer o filho comer melhor, tanto em quantidade como em qualidade?

Para melhorar a qualidade e a quantidade que seu filho come, confira as dicas desse post.

Reveja o cardápio da casa

Crianças gostam de novidades, surpresas e brincadeiras até mesmo na hora de comer. Se o cardápio da casa não é variado, pode ser que o pequeno esteja cansado de consumir os mesmos alimentos.

Para oferecer uma refeição mais atrativa, não é necessário seguir receitas mirabolantes ou gastar muito dinheiro. Basta realizar um rodízio entre os alimentos e investir em pratos nutritivos, apetitosos e, quem sabe, coloridos.

Convide a criança a experimentar receitas novas

Dentre as comidas que as crianças mais rejeitam podemos destacar as verduras, os legumes e até mesmo as frutas. Contudo, existem diversas receitas saborosas e saudáveis que são feitas à base desses alimentos. Em alguns casos, o pequeno sequer percebe a presença dos itens que ele não aceita.

A criatividade em relação ao cardápio pode e deve influenciar todas as refeições, inclusive a sobremesa – que costuma ter maior aceitação entre as crianças.

Estabeleça horários para as refeições

Em alguns casos, a falta de apetite pode estar relacionada à falta de alimentações regradas. Muitos pais, na ânsia de fazer o filho comer, oferecem petiscos o tempo todo para a criança ou permitem que elas comam em horários alternados.

Crianças precisam de limites e regras, até mesmo em relação à comida. Além de estabelecer horários para as refeições, faça o pequeno se dedicar a esse momento. Se possível, evite distrações, como televisão ligada, música muito alta, vídeos no smartphone, dentre outras.

Evite oferecer líquidos e doces em excesso

Para agradar o filho, diversos pais recorrem aos refrigerantes, chocolates e outros doces como moedas de troca ou acompanhamentos das refeições.  O problema é que os pequenos acabam se forçando a comer, justamente para receber essas recompensas.

Com moderação, você pode oferecer agrados ao seu filho. Porém, o ideal é que ele aprenda a comer bem, independente de uma futura “premiação”. E se for para oferecê-las, em um momento oportuno, recorra aos sucos naturais, docinhos saudáveis e outras receitas.

Permita um pouco de diversão

Mesmo que as distrações sejam proibidas, é possível fazer da refeição um momento divertido. Para tanto, os pais podem abusar da criatividade na montagem dos pratos ou, quem sabe, convidar a criança para ajudar na cozinha – desde que todas as recomendações de segurança sejam seguidas, está tudo bem.

Ainda assim, seus filhos não comem? Mantenha a calma!

Usar a agressividade, forçar a criança a comer ou até constrangê-la por não ter apetite são atitudes que nada colaboram para reverter o problema. Nessas horas, é preciso ter paciência e muito amor para com os pequenos.

No mais, esperamos que essas dicas ajudem você a superar esse dilema, que é mais comum do que imaginamos. E se os seus filhos não comem, veja também os 7 mandamentos da alimentação saudável para crianças.