Atualmente, o estresse infantil é um problema que tem afetado cada vez mais crianças. Isso acontece, em especial, devido ao elevado número de cobranças e atribuições que os próprios pequenos sofrem desde bem novinhos, criando uma responsabilidade maior e muito mais pressão.

Usando isso como base, resolvemos desenvolver um pouco mais sobre o assunto, abordando quais são as principais causas do problema e quais são os sintomas de crianças estressadas. Além disso, vamos apresentar algumas dicas para que você consiga lidar com a situação e até mesmo evitá-la. Ficou interessado? Então continue a leitura!

Quais são as causas do estresse infantil?

Como já mencionamos, a principal causa do estresse infantil é o excesso de responsabilidades e cobranças (em relação ao desempenho esportivo ou escolar, por exemplo) que os pequenos sofrem, em geral, dos pais e dos familiares. Entretanto, existem alguns outros motivos que estão diretamente relacionados com o problema. São eles:

  • constantes discussões com a família ou brigas entre os pais, possivelmente resultando em violência doméstica;
  • mudança de vida, incluindo uma nova escola, casa ou cidade;
  • nascimento de um irmão, já que a criança vai deixar de ser a única da família;
  • perda de pessoas queridas, sejam amigos ou familiares;
  • rejeição ou bullying entre colegas de escola;
  • problemas de saúde e possíveis hospitalizações.

Quais são os sintomas mais comuns?

Os sintomas do estresse infantil se dividem, basicamente, em físicos e comportamentais (ou psicológicos). No primeiro caso, é possível citar problemas constantes como dores na barriga, diarreia, náuseas, tensão muscular, dor de cabeça, hiperatividade em exagero, falta de apetite, mãos suadas e frias, tiques e gagueira, além de atos como ranger os dentes e urinar na cama durante a noite.

Já no segundo caso, é possível mencionar sintomas como ansiedade, impaciência, pesadelos, desobediência, agressividade, sono desregulado, dificuldade de concentração, insegurança, hipersensibilidade, choro excessivo, medo de qualquer coisa, introversão, explosões frequentes e sinais de baixa autoestima.

Não é difícil concluir que tais sintomas podem prejudicar um crescimento saudável e uma infância agradável. Entretanto, existem maneiras de contornar a situação e até mesmo de evitá-la, mesmo levando em consideração que o problema já atinge grande parte das crianças e, nos dias atuais, é considerado algo comum.

Como lidar com a situação?

Existem várias ações que podem diminuir o estresse do pequeno ou até mesmo evitar que ele aconteça. Confira as principais que devem ser feitas pelos pais!

1. Identifique a causa do problema

O primeiro passo é refletir sobre o estilo de vida do pequeno e buscar entender o que pode estar sobrecarregando-o e, por consequência, causando o estresse. Se possível, converse com ele, de uma maneira descontraída, e fique atento ao seu comportamento.

Depois que o problema for descoberto, tente modificar a situação, acabando com aquilo que tanto atinge a criança. Além disso, ofereça apoio, compreensão, afeto e deixe que ele converse com você, falando sobre os seus anseios e temores.

Em casos mais extremos que podem ocasionar problemas mais graves, como a depressão, é necessário o uso de medicamentos indicados por um profissional da saúde.

2. Diminua as atividades da criança

Outro ponto importante é deixar a criança mais relaxada, diminuindo as atividades e as cobranças do dia a dia. Isso é importante para que ela se sinta menos tensa e passe a realizar os seus deveres com uma sensação de alívio e até mesmo com mais segurança.

3. Proporcione o bem-estar

Por fim, é essencial que o seu filho viva momentos de distração e brincadeiras. Para isso, busque incluir atividades diferenciadas à rotina do pequeno. Algumas boas sugestões são: um esporte à escolha dele, um piquenique em família, uma festinha do pijama com os colegas de escola, uma noite de histórias e um dia no parque de diversões.

Pronto! Agora que você já sabe como o estresse infantil é causado, quais são os seus sintomas e como lidar com o problema, atente-se em relação a isso e garanta um crescimento sadio e uma infância agradável ao seu pequeno.

Se você gostou do post, siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de outros assuntos como esse. Estamos no Facebook e no Instagram!