Você sabia que ser uma mãe superprotetora pode impedir o crescimento sadio e adequado do seu filho? Esse é o tipo de mãe que normalmente elogia demais a criança, possui baixas expectativas sobre ela, oferece muitas recompensas materiais, passa poucas responsabilidades, auxilia mesmo quando o pedido de ajuda não é solicitado e tenta prevenir qualquer tipo de erro que possa vir a acontecer.

Entretanto, tudo isso interfere no amadurecimento natural do pequeno, tornando-o incapaz de tomar as suas próprias decisões e de agir como um adulto.

Por esse motivo, vamos mostrar no artigo de hoje incríveis dicas para você garantir o bem-estar dos seus filhos, mas sem exagerar na proteção. Se você tem curiosidade sobre o assunto, continue com a leitura e veja as nossas sugestões!

Imponha limites

Quando a criança se sente dona da situação, é comum que, com o tempo, ela apele para mentiras, chantagens emocionais e, até mesmo, episódios de violência. Por isso, é importante mostrar ao pequeno que é você quem está no comando da ocasião.

Brinque e demonstre todo o seu afeto, no entanto, nunca se esqueça de impor responsabilidades, regras e limites, tudo bem?

Permita que a criança corra alguns riscos

A infância é regada de brincadeiras, passeios, jogos ao ar livre e contato com a terra, não é mesmo? Toda essa diversão deve ser vivenciada e, mesmo se houver riscos de o pequeno esfolar o joelho ao cair enquanto está brincando de pique, por exemplo, cada momento é crucial para um desenvolvimento sadio e cheio de alegria.

Além disso, é importante se afastar um pouco nesses momentos e deixar que a criança se sinta livre e confortável. O fato de você não desgrudar de seu filho pode até mesmo impedir que ele cultive amizades sinceras.

Mostre que você confia no pequeno

Outro ponto importante é passar algumas responsabilidades para a criança, demonstrando que você confia e acredita que ela é capaz de solucionar os pequenos problemas sozinha.

Entre os seus atos, é interessante permitir que o pequeno monte a sua lancheira sozinho, deixar que ele fique na casa de um colega sem que você esteja presente e colocá-lo para dormir em um quarto que não seja o seu.

Demonstre carinho com equilíbrio

É claro que demonstrar carinho, proteção e amor aos pequenos é a melhor maneira de garantir uma estabilidade emocional e de solucionar os problemas relacionados a isso. Contudo, é necessário saber que demonstrar em doses muito exageradas pode fazer com que a criança se sinta sufocada e dependente.

Tudo isso aumenta a chance de seu filho ficar reprimido e acabar escondendo as suas ideias, a sua independência e a sua personalidade. Além disso, a probabilidade de o pequeno ficar estressado e dependente de você até a vida adulta é muito maior, já que ele não vai se sentir capaz de tomar iniciativas e decisões pelo fato de ele sempre ter conseguido isso sem esforço.

Deixe seu filho cuidar de parte da sua rotina

Por fim, também é interessante que a criança cuide de parte da sua rotina, se preparando para as situações futuras e alcançando mais responsabilidade. É válido começar com simples ocasiões, como permitir que o pequeno se alimente sozinho.

Gradativamente, você deve deixar ele lidar com outras situações. Alguns exemplos são: tomar banho sozinho; escolher as suas próprias peças de roupas; alimentar o seu animalzinho de estimação sozinho e realizar as tarefas escolares sem a sua ajuda, a não ser que ele a solicite.

Pronto! Agora que você já viu como não exagerar na educação de seu filho sendo uma mãe superprotetora, fique atenta a essas dicas! Não se esqueça de que essa é uma maneira de cuidar bem do pequeno, proporcionando um crescimento sadio e com responsabilidade. Além disso, é um jeito de garantir uma vida adulta madura e independente.

Se você gostou do post, veja como identificar problemas de aprendizado em seu filho. Até a próxima!