Se você é mãe, provavelmente, já passou pela frustração de escolher cuidadosamente uma roupa para o seu filho vestir em uma ocasião especial e ouvi-lo dizer que preferiria outra totalmente diferente.

Na verdade, as roupas das crianças e as escolhas que elas fazem na hora de montar um look dizem muito sobre a personalidade delas.

Portanto, é fundamental que os pais aprendam a equilibrar seus gostos pessoais com certa liberdade para que os pequenos façam suas próprias escolhas, já que esse tipo de atitude tem papel importante no desenvolvimento infantil.

Vamos entender melhor como isso funciona?

O início das escolhas

Em geral, as crianças começam a demonstrar algum interesse mais concreto em escolher como querem se vestir por volta dos 4 anos. No entanto, antes dos 6 anos, é bem difícil que elas consigam fazer uma conexão mais adequada entre os desejos e a viabilidade da peça.

Em outras palavras, aos 4 anos, seu filho provavelmente já vai querer opinar sobre as roupas que quer ou não vestir, mas ainda não possui maturidade suficiente para entender, por exemplo, que uma blusa de moletom não é a roupa mais adequada e nem a mais confortável para passar o dia na praia.

Ainda que, nesse momento, seu papel seja o de direcionar as escolhas para looks mais adequados ao clima e local do evento, é importante que a liberdade de escolha dos pequenos não seja totalmente tolhida.

A formação da personalidade

Um estudo conduzido pela pesquisadora Talita Souza, da Universidade de São Paulo (USP), mostrou que este tipo de escolha desempenha papel fundamental na formação da personalidade. É a partir delas que as crianças podem começar a expressar sua individualidade e criar as próprias regras e códigos de vestimenta, o que aumenta a sensação de independência.

Por isso, é importante estimular seu filho a explorar o próprio guarda-roupa. Sempre pergunte à criança, por exemplo, se ela gosta do que está vestindo, se gostaria de fazer outras combinações de peças e, na medida do possível, deixe que ela dê palpites e expresse sua criatividade.

No entanto, é importante ter em mente que, se a escolha das roupas influi na formação da personalidade, o contrário também acontece. Trata-se de um processo de mão dupla, e o temperamento da criança — se é mais extrovertida ou mais tímida, por exemplo — também costuma se refletir nas escolhas que ela faz.

O papel dos pais na escolha das roupas das crianças

Nesse momento, além de auxiliar os filhos a adequarem seus gostos pessoais aos códigos próprios dos locais onde eles usarão as peças, os pais também precisam ficar atentos à mensagem que a escolha daquela roupa quer passar.

Quer um exemplo? Se a criança insiste em usar peças com a estampa de determinado personagem infantil ou parecidas com a de uma personalidade da TV ou da música, é fundamental analisar o que esses personagens costumam transmitir e o que faz com que a criança se sinta tão próxima deles.

O ideal é que os pequenos se identifiquem com imagens atreladas a uma figura positiva, com qualidades e habilidades admiráveis. Se a criança se espelha em personagens com comportamento oposto, tampouco há motivo para pânico, mas é importante conversar com ela para saber o motivo dessas escolhas.

Gostou de entender melhor como as roupas das crianças podem ser importantes no seu desenvolvimento e na formação da sua personalidade? Então, compartilhe este post com outras mães em suas redes sociais!