Saci Pererê, Bumba Meu Boi, Caipora, Iara e Mula Sem Cabeça são apenas alguns exemplos da riqueza do nosso folclore. O folclore brasileiro é um dos maiores do mundo e se manisfesta através de lendas, contos, festas, canções e muitas outras formas de acordo com cada região do país.

Comemorado uma vez por ano, ele pode ser um ferramenta para te ajudar a explicar a história de uma determinada região e também auxiliar o desenvolvimento criativo das crianças.

Mas como contextualizá-lo nos dias de hoje? Separamos algumas dicas para te ajudar a entender a importância dessa riqueza popular e também formas de inseri-la na educação dos seus filhos. Confira! 

Qual a importância do folclore brasileiro na formação cultural?

A palavra folclore é de origem inglesa e significa o ato de ensinar um conjunto de costumes, lendas e manifestações artísticas de um povo. Apesar de ser conhecido por lendas como saci-pererê e mula sem cabeça, o folclore brasileiro possui muitas formas de manifestação, sendo elas específicas de cada região e estando sempre em constante mudança, já que as histórias mudam de acordo com a mudança do povo. 

Inserir o folclore na educação das crianças é mostrar, através de lendas, contos e músicas sobre a grande diversidade que existe no nosso país, colaborando para a normalização e respeito às diferenças presentes no mundo moderno.

Além da apropriação cultural e identificação, ele também colabora para o desenvolvimento criativo dos pequenos. Através das danças, festas e comidas típicas, cantigas, histórias contadas e brincadeiras, é possível aumentar o poder lúdico das crianças, estimulando-as a utilizar a imaginação durante o processo de aprendizagem. 

Como incorporá-lo à educação do seu filho?

Opte por folclores brasileiros regionais 

Utilizar histórias e contos folclóricos que estão presentes na região onde você mora torna mais simples a tarefa de criar identificação entre as crianças e a história contada. Se você é do sul do país, opte pelo folclore da cultura sulista, como o vaneirão e, se for do nordeste, as festas de Olinda, por exemplo. 

O importante é criar o laço entre o que a criança já conhece com a cultura do folclore da região, a fim de despertar o interesse.

Adapte o conteúdo para a idade das crianças 

Crianças de 0 a 5 anos têm uma comunicação e interesse diferentes daquelas que são mais velhas. Por isso, procure abordar o folclore brasileiro de acordo com a idade e interesse dos seus filhos. 

Eles são mais ligados à musica e à dança ou preferem escutar histórias? Gostam mais de assistir a teatro, por exemplo, ou adoram colocar a mão na massa? Hoje em dia, é fácil encontrar diversas atividades ligadas ao folclore brasileiro em centros culturais, que também podem ser reproduzidas dentro de casa.

Crie ligações com a atualidade

Fazer a ligação com elementos atuais presentes na vida da criança também auxilia o interesse dela com o assunto. Mostrar o significado dos dialetos regionais ou o motivo de existir uma festa específica na cidade ou estado auxilia a a compreensão da importância do que se está sendo ensinado e preserva a cultura regional.

Converse sobre o que foi contado ou aprendido

Após brincadeiras, cantigas ou eventos culturais, converse com seus filhos sobre o que foi visto e o que eles mais gostaram ou acharam diferente. Assim, é possível desenvolver a capacidade de se comunicar e também a criatividade individual. 

E você? Já utiliza o folclore brasileiro como ferramenta de educação para os seus filhos ou conhece alguém que faça isso? Conte para gente nos comentários!